Agricultores de Mandirituba encontram no morango uma fonte de renda

Com a predominância de área rural, onde Mandirituba possui mais de 75% do seu território com atividades agrícolas, muitas famílias estão encontrando no cultivo de morango uma nova alternativa para renda familiar. Este grande crescimento na produção de morango vem também de certa forma, preencher uma lacuna que se abriu em 2012 quando aconteceu a crise na criação de frangos, por alguns anos os avicultores ficaram sem alternativa viável para reestabelecer uma atividade econômica a contento de seus rendimentos.

Em meados de 2015, um grupo de agricultores começou a cogitar a possibilidade de utilizar os espaços ociosos onde anteriormente criavam frango, para iniciar o cultivo de morangos, deu-se ai uma parceria entre agricultores, Emater e prefeitura, onde foram em busca de conhecimento e recursos para alavancar a atividade, como o estado do Rio Grande do Sul já encontrava-se com a produção de morango em alta, a ajuda veio deste estado com palestras e treinamentos aos agricultores de Mandirituba.
A atividade deu tão certo para a região, que em pouco tempo as granjas utilizadas de forma alternativa para o cultivo do morango, foram dando vez a novas estufas com estrutura específica ao cultivo deste produto, que cada vez mais vem ganhando mercado. O negócio que começou tímido, hoje conta com mais de 60 produtores que semanalmente produzem cerca de 80 toneladas de morango para comércios de pequeno, médio porte, e até mesmo grandes redes de supermercados do estado do Paraná.
Um dos fatores que colabora para o crescimento desta atividade é o custo não muito elevado se comparado a outros empreendimentos, com investimento inicial que gira em torno de R$ 20 mil, para uma estufa de 7×50 metros, contando com a estrutura, sistema de irrigação e as próprias mudas, que em torno de 3 meses já começam a produzir e gerar os primeiros rendimentos, com valor agregado satisfatório aos olhos dos comerciantes.

Em Mandirituba o perfil dos agricultores são de um negócio em família, a exemplo do senhor Valentim Undoviski, que trabalha com sua esposa e os dois filhos, cultivando as três estufas que tem em sua propriedade, colhendo semanalmente mais de 1.300 quilos da fruta. “No verão a produção gira em torno de 150 quilos por dia, e no inverno a produção cai um pouco, mas mesmo assim, o morango é o que sustenta nossa família hoje”, comenta Valentin, que começou com uma única estufa e hoje conta com 3 unidades, tendo sua produção com garantia de venda e já tem a intenção de num futuro próximo ampliar ainda mais. “O negócio está dando certo porque nos dedicamos muito todos os dias e também podemos contar sempre com o apoio técnico da prefeitura de Mandirituba que sempre está nos auxiliando”, conclui o produtor.
A prefeitura de Mandirituba mantém um trabalho constante junto aos produtores, o técnico agrícola Joel Sebastião da Cruz, funcionário efetivo municipal, se especializou nos processos de criação de morango e presta assistência acompanhando de perto cada agricultor do município, isto se compreende desde o planejamento do empreendimento, a própria preparação da área para instalação da estufa onde a prefeitura faz a terraplenagem com os equipamentos da prefeitura e assessora o processo até a escolha das mudas, até o tipo de estaleiro, onde o mais comum hoje é o suspenso que facilita o manejo do morando e posteriormente o monitoramento da produção. Responsável pela pasta da Agricultura, o secretário de Administração está acompanhando de perto o os trabalhos do setor.

Voltar