Mandirituba tem saldo positivo na geração de empregos em 2020 e fortalece incentivo a jovens aprendizes

A prefeitura de Mandirituba não mede esforços para superar a atual fase de dificuldades que o setor econômico vem sofrendo em razão da pandemia, apesar das adversidades o município com cerca de 30 mil habitantes, teve o segundo melhor saldo na geração de empregos em toda a região de acordo com o CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), ficando atrás apenas de Fazenda Rio Grande que hoje é um grande polo industrial do Paraná.

Pensando também na qualificação de mão de obra e na oferta de oportunidades aos jovens do município, o prefeito Luis Antonio Biscaia designou uma equipe para intensificar a parceria do Programa Jovem Aprendiz, junto às empresas locais. Este importante programa do governo do estado, vai subsidiar parte do valor repassado aos jovens aprendizes, que atuam no município. A empresa Petrofisa é uma das que serão beneficiadas com o programa, atualmente na empresa mais de 12 jovens entre 14 e 18 anos fazem parte do quadro de colaboradores, e com esse benefício, a tendência é que haja mais contratações futuras.

Através de Lei Estadual nº 20.328/2020, o programa emergencial é um desdobramento do Cartão Futuro, criado pelo Governo do Estado com o intuito de incentivar a inserção de jovens no mercado de trabalho.

Para receber o benefício, os empregadores devem se comprometer a manter os contratos vigentes com adolescentes ou o mesmo número de jovens aprendizes que a empresa tinha antes da crise do coronavírus. O objetivo do Programa garante a manutenção de 15 mil vagas de emprego para jovens de 14 a 18 anos, no Estado do Paraná.

De acordo com a lei, o empregador que mantiver contrato ativo com aprendizes menores de 18 anos, terão acesso a subvenção econômica no valor de R$ 300,00, por aprendiz, por um prazo de 90 dias a partir da solicitação. Aqueles que contratarem novos aprendizes, mesmo que em substituição dos que tiveram o contrato encerrado durante a pandemia, terão acesso ao valor de R$ 500,00.

Nos dois casos, os empregadores deverão manter os contratos com os aprendizes por, no mínimo, mais 60 dias após o pagamento da última parcela da subvenção. Eles também ficam responsáveis pelo pagamento das demais verbas salariais devidas, bem como pelos encargos trabalhistas e previdenciários.

Voltar

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support