Dia da Bandeira

Dia da Bandeira

A bandeira de nosso país foi criada logo após a Proclamação da República, acontecimento que ocorreu em 15 de novembro de 1889. Com esse fato, o Brasil deixou de ser uma monarquia e tornou-se uma república, o que fez com que uma série de símbolos do país fossem substituídos, inclusive a Bandeira Nacional.

A antiga bandeira do Brasil imperial foi criada pelo artista Jean-Baptiste Debret e ficou em vigor entre 1822 a 1889.

Os autores da nova bandeira do Brasil foram Raimundo Teixeira Mendes, Miguel Lemos, Manuel Pereira Reis e Décio Vilares. Essa nova bandeira substituiu a bandeira que havia sido proposta por Rui Barbosa, e que esteve içada do dia 15 de novembro ao dia 19 de novembro. As grandes mudanças da nova bandeira brasileira e a bandeira do período imperial foram as seguintes:

O losango amarelo teve seu tamanho redimensionado.

O símbolo de Armas do Império que estava no centro da bandeira imperial foi substituído pela esfera azul republicana.

No centro da esfera, foi adicionado um lema positivista escrito “Ordem e Progresso”. Esse lema foi inspirado em uma frase de Auguste Comte.

Foram adicionadas estrelas brancas como representação dos estados brasileiros, e as constelações de (ainda que parcialmente): Virgem (uma estrela), Cão Maior (6 estrelas), Cão Menor (uma estrela), Hidra (2 estrelas), Carina (uma estrela), Cruzeiro do Sul (5 estrelas), Escorpião (8 estrelas), Triângulo Austral (2 estrelas) e Oitante (uma estrela).

A bandeira do Brasil foi oficialmente apresentada no dia 19 de novembro de 1889 e foi adotada por meio de um decreto assinado pelo presidente provisório do Brasil, que na época era o marechal Deodoro da Fonseca. O decreto determinava a permanência das cores, e as mudanças que aconteceriam na bandeira.

Atualmente, a bandeira e outros símbolos nacionais (Hino Nacional, Armas Nacionais e Selo Nacional), estão normatizados na Lei nº 5.700 de 1º de setembro de 1971, e essa lei sofreu algumas alterações por meio da Lei 8.421 de 11 de maio de 1992. Essa lei de 1992 também foi responsável por acrescentar novas estrelas na Bandeira Nacional. Essas estrelas correspondem ao Amapá, Roraima, Rondônia e Tocantins.

A estrela mais brilhante do céu (e também na bandeira), Sírius (Cão Maior), representa o estado do Mato Grosso. Amapá, Rondônia, Roraima e Tocantins, os quatro estados mais jovens da federação, ganharam estrelas da constelação do Cão Maior, respectivamente beta, gama, delta e épsilon. As estrelas mais brilhantes das constelações estampadas na bandeira, as alfas, representam os seguintes estados: Pará (Spica, Virgem), Amazonas (Procyon, Cão Menor), Mato Grosso do Sul (Alphard, Hidra), Goiás (Canopus, Carina), São Paulo (Estrela de Magalhães, Cruzeiro do Sul), Piauí (Antares, Escorpião) e Rio Grande do Sul (Atria, Triângulo Austral, o estado do Paraná é representado pela Estrela Gama do Triangulo Astral.