Abelhas Nativas Sem Ferrão – Casa Benedito

Quem Somos?

Somos um grupo de meliponicultores da região metropolitana de Curitiba, dedicados a criação racional de abelhas nativas sem ferrão.

A fundação do grupo se deu em julho de 2010 em assembléia, participando biólogos, agrônomos, agricultores, médicos, advogados e autonomos.

Como Produzir?

É possível capturar abelhas sem ferrão da natureza por meio de ninhos-armadilhas ou outros métodos que não prejudiquem o meio ambiente. Para isso, é necessário obter permissão do órgão ambiental competente da região.
Meliponários com menos de 50 colônias precisam se inscrever no Cadastro Técnico Federal do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Além do cadastro, meliponários com 50 ou mais colônias devem solicitar autorização em órgãos ambientais estaduais.
EXPANSÃO ==> Para aumentar o plantel, o criador pode optar pela divisão de uma colônia forte em duas novas. Para receber as abelhas que estão voando, basta colocar a metade dos favos da criação em uma caixa vazia e instalá-la no lugar onde está a caixa-mãe. Enquanto a rainha que está botando permanece na colônia-mãe, uma nova nascerá na colônia-filha. Acompanhe e alimente ambas a cada semana até que se fortaleçam novamente.
INSTALAÇÕES ==> Os ninhos são feitos com caixas rústicas de madeira e em vários tamanhos. Cabaças, cortiços e outros materiais também podem ser usados. Em prateleiras, mantenha cada unidade distante 0,5 metro entre si e, em cavaletes individuais, 1,5 metro. Para atrair as abelhas, acomode dentro dos ninhos um pouco de cerume e resina extraídos de outras colônias.
AMBIENTE ==> É importante ter plantas no entorno da criação, pois os produtos que fabricam dependem da disponibilidade de flores na vizinhança. Apesar de as abelhas serem resistentes às oscilações de temperatura, proteja os ninhos da exposição ao sol, à chuva e de ventos fortes. Certifique-se de que haja água limpa nas proximidades.
CUIDADOS ==> Com óleo queimado, graxa ou outros produtos, pincele o suporte das colônias recém-formadas, ou fracas, para impedir o acesso de formigas. Pequenas moscas ligeiras (forídeos), que botam ovos nos potes de pólen, enfraquecendo os enxames, podem ser evitadas vedando as colônias com fita adesiva.
ALIMENTAÇÃO ==> Oferecidos pelas flores, o néctar, fonte de açúcares, e o pólen, de proteína, vitaminas e minerais, são os principais alimentos das abelhas. Em época de pouca florada, forneça, de uma a duas vezes por semana, uma mistura de açúcar com água na proporção de um para um, fervida ou batida no liquidificador. Coloque em copinhos de café com alguns palitos de picolé para que não se afoguem.
COLETA ==> A primeira coleta poderá ser feita em menos de um ano após o início da atividade. Com 20 colônias, é possível produzir de 20 a 80 litros de mel por ano, dependendo da espécie e da disponibilidade de flores no entorno.

CPRA

Meliponicultura

– IV SEMINÁRIO DE MELIPONICULTURA DE FRANCA
– MEL CATARINENSE É ELEITO O MELHOR DO MUNDO EM CONGRESSO INTERNACIONAL
– PICADA DE ABELHA PODE PROVOCAR DORES E LEVAR À MORTE
– SECA FAZ PRODUÇÃO NACIONAL DE MEL CAIR 19% EM 2012, DIZ IBGE
– CAPA PROMOVE OFICINA SOBRE ABELHAS SEM FERRÃO
– IDAM ORIENTA AGRICULTORES SOBRE ALIMENTAÇÃO ARTIFICIAL PARA CRIAÇÃO DE ABELHAS SEM FERRÃO
– MÃO DE OBRA CARCERÁRIA É UTILIZADA NA PRODUÇÃO DE MEL NO PARÁ
– PRINCÍPIOS DA CRIAÇÃO RACIONAL DE ABELHAS SEM FERRÃO
– ISCA “BAMBU-COM-VIDA”
– HORMIGAS LOCAS ARGENTINAS ATERRORIZAN EEUU
– MANIFESTO PELA PROTEÇÃO AS ABELHAS
– COLEÇÃO DE MACROFOTOGRAFIA DE ESTUDIOSO DOS EUA MOSTRA ABELHAS EM DETALHES
– MELIPONICULTURA – EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL
– VOO DE ABELHA INSPIRA DESIGN DE MICROROBÔS AÉREOS
– ABELHAS SEM FERRÃO PRODUZEM MEL MAIS SABOROSO

 

 

 

Voltar

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support